Objetivos

O Grupo de investigação Protextos atua na Didática da Escrita (DE), área fulcral para o desenvolvimento cognitivo e para a construção do saber, particularmente deficitária no sistema educativo português.

A equipa propõe-se, por isso, ultrapassando a mera constatação de dificuldades e vazios reconhecidos, prosseguir os estudos nesta área através da mobilização contínua de conhecimentos e metodologias, produzidos em domínios que lhe são conexos (Bazerman, 2007; MacArthur, Graham, & Fitzgerald, 2006; Schneuwly & Thévenaz-Christen, 2006), procurando também beneficiar de críticas e reflexões suscitadas pelas teorias e modelos mais divulgados (Adam, 2001; Bronckart, 2007; Coutinho, 2005, 2003; Schneuwly, Dolz, & et al., 2004).

Pretende-se, assim, levar a cabo uma investigação informada e cientificamente sustentada e regulada que pode, desta forma, relançar questões, reequacionar problemas e dirigir a ação no sentido da construção e validação de instrumentos específicos, com projeção no plano do currículo, na seleção de textos a ler, na definição de sequências de ensino (Pereira & Cardoso, 2011; Pereira & Cardoso, 2013) e nas interações da escrita com outras competências. Procura-se, ainda, observar o modo como um uso criterioso das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) pode constituir um poderoso recurso ao serviço de uma metodologia renovada e consistente da aprendizagem da escrita (MacArthur, 2009).

O desenvolvimento previsto abrange, assim, um conjunto de dimensões: a revisão de literatura, a construção de modelos didáticos de ensino da produção de diferentes géneros de texto; a prospeção no terreno – através de inquéritos e do reconhecimento dos objetos efetivamente ensinados nas aulas de língua portuguesa; a implementação de sequências de ensino em sala de aula e análises da produção de textos de alunos ao longo de um ciclo alargado e em situação de colaboração (escrita a pares).

Objetivos principais:

Compreender

i. A relação dos sujeitos com a escrita;

ii. As dificuldades (relativamente ao ensino e à aprendizagem)

iii. O papel das TIC no ensino e aprendizagem da escrita

 

Formação: desenho de Sequências Didáticas (SD), intervenções didáticas e textos dos alunos:

i. Conceber e avaliar dispositivos didáticos que prevejam o ensino de géneros textuais através de sequências de ensino;

ii. Analisar intervenções de professores (dos 4.º, 6.º e 9.º anos) e o processo de transposição didática dos objetos definidos na formação.

iii. Analisar as características linguísticas e textuais dos textos produzidos pelos alunos dos 4.º, 6.º e 9.º anos de escolaridade;

iv. Comparer os textos (P1 – produção inicial; P2 – produção intermédia; e, P3 – produção final) dos alunos dos Grupos Experimentais com os dos alunos dos Grupos de Controlo, para cada um dos 3 níveis em estudo;

v. Definir critérios para a progressão da competência de escrita nas diferentes faixas etárias para os 3 ciclos do Ensino Básico.